Solidariedade na cabeça

26/Ago/2022

Ao chegar para mais um dia de trabalho esta semana, o operador de estação da MOBI-Rio Felipe Marinho dos Santos foi tomado pela emoção. Com os cabelos raspados, exatamente como Felipe, um grupo de colegas o esperava na estação Santa Cruz. O gesto foi a forma que esses colaboradores encontraram de expressar apoio a ele, cuja mãe está fazendo quimioterapia para tratar de um câncer de mama, descoberto em abril. "Minha mãe começou a quimioterapia no fim de julho. Ela disse: 'Já que o cabelo vai cair, vamos raspar logo.' Então, eu e meu irmão Douglas raspamos o cabelo dela em casa e depois o nosso. Ela começou a chorar", contou.

Felipe não imaginava que a decisão dele e do irmão fosse acolhida também pelos companheiros. "Quando vi meus colegas de cabeça raspada, chegou a cair uma lágrima, não esperava", disse. O supervisor de estações Thiago da Silva Nascimento, um dos que aderiram ao visual solidário, destacou que todo o grupo é muito unido. "Vi no status do WhatsApp do Felipe que tinha raspado o cabelo. Aí outro operador pediu que a gente fizesse um grupo de mensagens para falar sobre isso. Chamamos de "Raspar na zero". É no momento mais difícil que encontramos os verdadeiros amigos. Tenho eles todos como irmãos", disse Thiago.

O encontro dos colaboradores foi registrado em fotos, que acabaram sendo mostradas à dona Vilma de Araújo Marinho, mãe de Felipe. "Ela ficou muito emocionada, fez questão de mandar um áudio para eles agradecendo. Minha mãe botou na cabeça que a doença é mais um obstáculo a ser superado. Não está abatida", afirmou o operador de estação, traduzindo em palavras todo seu sentimento por dona Vilma. "Ela é mais que tudo para mim".